Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog > Sala de Imprensa > Clipping > Quatro viadutos prontos até 2014

Quatro viadutos prontos até 2014

O projeto que mudará o cenário da Agamenon deve começar a sair do papel no primeiro semestre de 2012

Quatro viadutos vão mudar o trânsito na Agamenon Magalhães, conhecida como a artéria central do trânsito no Recife. A previsão do governo do estado é que as obras, entre a Ilha do Leite e o Parque Amorim, comecem no primeiro semestre do próximo ano e sejam concluídas em dois anos, antes da Copa. O projeto dos viadutos, cujas construções são estimadas entre R$ 180 milhões e R$ 200 milhões, foi lançado ontem no Palácio do Campo das Princesas. Com o término das obras, a avenida deve se tornar uma espécie de linha expressa, pois sumirão os principais pontos de estrangulamentos.

Embora o projeto esteja em fase de elaboração, os locais onde os viadutos serão erguidos já foram definidos. Dois estão relacionadas ao tráfego na Rua Fernandes Vieira, no Parque Amorim. Um ligará à Rua Bandeira Filho, nas Graças. Outro fará a interligação com a Avenida Rui Barbosa. “Só desse jeito, essa situação pode mudar”, acredita o taxista Normando Medeiros. Por volta das 14h de ontem, ele reclamava do volume do tráfego na Rui Barbosa.

A poucos metros, o balconista José Oscar Fernandes dava “graças a Deus” porque o trânsito fluía bem no cruzamento da Rua Dom Bosco com a Agamenon Magalhães. No local, o governo do estado pretende erguer um terceiro viaduto. A medida acabaria com um dos maiores nós do trânsito da cidade. Por sua vez, o quarto viaduto acabaria com as retenções de trânsito na Rua General Joaquim Inácio, que recebe o fluxo da Ilha do Leite e da Boa Vista.

Segundo o governador Eduardo Campos, a construção dos viadutos complementará as mudanças de engenharia de tráfego iniciadas pela Prefeitura do Recife. No mês passado, o município modificou alguns acessos às vias locais da Agamenon. Mas não cabe ao governo a primeira fase do projeto dos viadutos. Quem está à frente é o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE). A instituição financiará o projeto básico dos viadutos e o plano de circulação. O estudo, detalhou o secretário estadual das Cidades, Danilo Cabral, vai indicar a origem e o destino de parte dos 86 mil veículos que, diariamente, circulam pela Agamenon. Tocados pela consultoria pernambucana Maia Melo, o projeto e o plano estão orçados em R$ 1 milhão.

O acordo entre a Secretaria das Cidades e a Urbana-PE é que os dois documentos estejam prontos em novembro. Em dezembro, adiantou Danilo Cabral, será aberta a licitação, estando o término desse processo marcado para março de 2012. E as obras começariam logo em seguida. “Nós ganhamos com esse projeto, pois as velocidades dos ônibus aumentarão”, avaliou o presidente do Urbana-PE, Luiz Fernando Bandeira de Mello. O projeto prevê que os viadutos sejam estaiados, ou melhor, construção em que cabos de aço aparentes fazem parte do sistema.

Intervenções aprovadas

Na prática, as primeiras intervenções do Programa Estadual de Mobilidade já começaram. As mudanças implantadas pela Prefeitura do Recife na Avenida Agamenon Magalhães, no mês passado, principal corredor viário da cidade, estão surtindo efeito. Mesmo nos horários de grande fluxo, no início da manhã e no fim da tarde, o trânsito está fluindo com mais tranquilidade do que antes. Foram fechadas algumas vias locais, que davam acesso e saída à pista principal. Chegar até Boa Viagem ficou mais fácil e a população aprovou a novidade. Diariamente trafegam pela Agamenon cerca de 86 mil veículos nos dois sentidos.

De acordo com dados da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), o tempo médio para percorrer toda a extensão da avenida, que liga o município de Olinda ao bairro de Boa Viagem, dura de 13 a 15 minutos. Antes, esse tempo era de até 20 minutos. Isso significa que os motoristas ganharam até sete minutos na viagem. “O trânsito está realmente mais rápido. Sei porque agora o ônibus demora menos tempo para chegar”, garantiu a cirurgiã plástica Edna Leão, de 40 anos. Todos os dias, ela pega a condução na parada próxima ao Hospital Português, na Paissandu, e segue para Boa Viagem, onde mora. A funcionária pública Míriam Diniz, 48, concordou. “Hoje gasto menos tempo para dirigir até Boa Viagem”, disse.
“Não restam dúvidas de que as mudanças trouxeram mais fluidez à Agamenon”, avaliou a presidente da CTTU, Maria de Pompéia. As mudanças numa das principais avenidas da cidade foram simples. Foram eliminados três acessos que faziam ligação entre a pista principal e a pista local no sentido Olinda/Boa Viagem, na altura das ruas São Salvador, Doutor Bandeira Filho e Joaquim Nabuco. Além disso, foi proibida a realização do giro à esquerda, no horário das 7h às 22h, nos pontilhões localizados em frente à Avenida Rui Barbosa e a Rua Padre Henrique Dias.

Agora, o acesso dos condutores a outras vias só é possível através de giros de quadra. Dessa forma, não há mais retenções na faixa da esquerda.

Fonte: Diario de Pernambuco – Caderno Vida Urbana