Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Blog > Sala de Imprensa > Clipping > Carregar passe fica mais fácil

Carregar passe fica mais fácil

TRANSPORTE Plano de descentralização será apresentado hoje. Meta é implantar terminais de autoatendimento em 600 pontos da RMR

Longas filas, calor e tumulto. Esse é o cenário enfrentado por milhares de passageiros que recarregam o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM), todos os meses, nos postos de atendimento do Grande Recife Consórcio de Transporte. Ontem, a combinação do fim da greve dos bancos com a queda do sistema operacional, por cerca de 20 minutos, resultou em longa espera para quem procurou a unidade da Praça Maciel Pinheiro, Boa Vista, no Centro. A fila chegou até a frente do Teatro do Parque, na Rua do Hospício. Mas, segundo o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), essa realidade pode estar com os dias contados. A entidade apresenta hoje o novo sistema de autoatendimento, que vai permitir a recarga descentralizada em mais de 600 pontos da Região Metropolitana do Recife.

A partir de agora, os usuários dos cartões VEM Estudantil, Trabalhador e Comum poderão recarregar os bilhetes eletrônicos em máquinas de autoatendimento, que serão instaladas em estabelecimentos comerciais. Mais informações sobre como será feito o abastecimento dos créditos serão fornecidas, hoje, durante entrevista coletiva.

Nas ruas, a população recebe a novidade com otimismo. A recepcionista Tânia Ovídio, 37, mensalmente enfrenta filas para abastecer o bilhete eletrônico da filha de 9 anos e está esperançosa com a promessa de descentralização. “Se esse autoatendimento for ágil, tipo caixa eletrônico, vai ser ótimo, pois vai facilitar muito a vida dos passageiros”, afirma.

Atualmente, existem duas maneiras para inserir créditos: ir a um dos três postos de atendimento ou pela internet, através do site www.vemgranderecife.com.br. O carregamento embarcado, como é chamada a recarga virtual, funciona da seguinte maneira: o usuário entra no site, preenche um formulário, imprime a página e paga na rede bancária. Os créditos são transferidos em até 24 horas para o cartão do estudante. A transferência é feita quando o aluno aproximar o VEM dos validadores instalados nos coletivos.

Entretanto, a forma virtual para facilitar o atendimento ainda não vingou entre os estudantes. A maioria não compra créditos pela internet. Números do Urbana-PE confirmam a escolha: dos 554 mil estudantes que inserem créditos mensalmente, apenas 33,2 mil estão fazendo a movimentação on line, o que representa pouco mais de 6% do total.

O estudante Yago Lourenço, 17 anos, compartilha dessa preferência. Ele mora em São Lourenço da Mata e estuda no Centro do Recife. Todo início do mês ele enfrenta o mesmo sufoco para carregar o VEM no posto de atendimento da Maciel Pinheiro. “Quando vou carregar o cartão tenho que ficar sem almoçar, porque largo às 13h e tenho treino de vôlei à tarde. Chego lá e tenho que esperar mais de meia hora, num calor danado, para ser atendido”, conta.

Apesar das dificuldades, o estudante afirma que prefere a recarga pessoal. “Já ouvi falar que posso abastecer pela internet e tenho computador em casa, mas acho melhor comprar no posto”, acrescentou Yago.

Já em relação ao VEM Trabalhador (o antigo vale-transporte), 98% das compras dos créditos dos 720 mil cartões são feitas pela internet.

Fonte: Jornal do Commercio – Caderno Cidades