Pular a navegação e ir direto para o conteúdo




Blog > * Destaque da home 512x250 * > Maio Amarelo: um mês para repensar o trânsito

Maio Amarelo: um mês para repensar o trânsito

Começou no último domingo (1º) o Maio Amarelo, período de atividades para chamar atenção sobre os acidentes de trânsito, com o objetivo de reduzir o número de vítimas. Vinte e três países apoiam o projeto.

Em Pernambuco, foram atendidas em 2015 42.807 pessoas que haviam sofrido acidentes de trânsito – 11,4% delas que estavam conduzindo carros ou motos depois de beber. Embora o número tenha diminuído 8,2% em relação ao ano anterior, quando foram registrados 46.632 atendimentos, ainda é muito alto. Os dados são da Secretaria de Saúde do Estado.

A taxa de mortalidade no trânsito em Pernambuco foi de 18,2 por 100 mil habitantes no ano passado. Enquanto em 2015 houve 1.705 óbitos, em 2015 foram 1.916. Dos mortos no ano passado, 18% estavam em carros, 17% eram pedestres e 3% eram ciclistas. As principais vítimas no Brasil são homens (75%) jovens, com idades entre 18 e 34 anos (52%).

Mudar essa realidade é uma meta do País, assumida com a Organização das Nações Unidas (ONU) há cinco anos. Mas como fazer isso? Para o Movimento Maio Amarelo, lançado há três anos pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, uma forma é alertando para o uso do cinto de segurança e o excesso de velocidade. Esses foram os temas escolhidos para a campanha deste ano.

No Estado, dirigir acima da velocidade estabelecida foi a ocorrência mais cometida em 2015, de acordo com o Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE). Só nos três primeiros meses do ano foram registradas 462.602 infrações. Em atropelamentos, por exemplo, 85% das vítimas atingidas por veículos acima de 60 km/h morrem, segundo estudo do Departamento de Tráfego Britânico.

Não usar o cinto de segurança foi um hábito responsável por mais de 10 mil multas de R$ 127,69 pela infração grave no primeiro trimestre de 2016 em Pernambuco. O maior problema nesse caso é sobre o equipamento de segurança no banco de trás. Um levantamento da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) mostra que só 7% dos passageiros têm o costume de utilizar o cinto. Mas vale lembrar que cabe ao motorista também estimular o cumprimento das leis de trânsito. Um adulto com 60 quilos, numa batida a 50 km/h, sem cinto, é arremessado contra o banco da frente com peso equivalente a uma tonelada.

AÇÕES – O Detran-PE vai abriu a campanha do Maio Amarelo no domingo (1º), com passeio motociclístico saindo do Segundo Jardim da Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, a partir das 9h. Na segunda-feira (2), houve, das 11h às 14h, uma ação para orientação sobre o uso das vagas prioritárias de estacionamento no Shopping Recife, também na Zona Sul. Ao longo do mês equipes de educação no trânsito visitarão escolas e farão blitzes.



Deixe um comentário